Home Brasil Desempenho no Mundial faz judô do Brasil ligar sinal de alerta

Desempenho no Mundial faz judô do Brasil ligar sinal de alerta

4 min read
0
0
184

O Brasil encerrou nesta quinta-feira (27) sua participação no Mundial de judô, que foi disputado em Baku, no Azerbaijão, novamente longe do pódio. Na competição por equipes mista, o time brasileiro chegou à repescagem, mas foi derrotado pela Alemanha por 4 a 2 e ficou fora da disputa do bronze.

Com isso, o judô brasileiro terminou a competição trazendo na bagagem somente uma medalha de bronze, obtida pela experiente Érika Miranda, na categoria 52 kg. Tido como uma das principais forças do esporte olímpico brasileiro, o judô saiu deste Mundial com o sinal de alerta ligado para a Olimpíada de Tóquio-2020.

A campanha da equipe no Azerbaijão foi a segunda pior em mundiais realizados neste século. Só não foi pior do que o desempenho obtido em Roterdã (HOL), quando o Brasil passou sem nenhuma medalha.

A preocupação aumenta consideravelmente quando se faz uma comparação com o desempenho brasileiro no Mundial anterior, disputado em Budapeste (HUN), no ano passado.

Na ocasião, foram obtidas cinco medalhas, com destaque para o ouro de Mayra Aguiar na categoria 78 kg. Também subiram no pódio David Moura e Rafael Silva (prata e bronze nos pesados, respectivamente), Érika Miranda (bronze nos 52 kg) e uma prata na competição por equipes.

Antes do início do Mundial, Ney Wilson, gestor de Alto Rendimento da CBJ (Confederação Brasileira de Judô), disse à reportagem que não queria fazer projeções de resultados para este Mundial, porque a equipe passa por um processo de transição, com a entrada de muitos jovens, especialmente no time masculino.

Com o final da campanha, Wilson reconheceu que o desempenho brasileiro ficou bem abaixo do esperado.

“É o momento de fazer uma avaliação e replanejar. Com certeza, precisamos de ajustes. Temos que sentar com toda a comissão técnica, discutir onde erramos, onde acertamos, onde precisamos evoluir, avaliar os nossos principais adversários”, disse o dirigente ao site da CBJ. Mesmo assim, ele mantém otimismo em relação ao desempenho para a Olimpíada de 2020.

“Se tem um momento que a gente poderia falhar é esse. Ainda temos mais um Mundial pela frente e o grande objetivo são os Jogos Olímpicos. Dá para tirarmos bons proveitos dos resultados. Atletas novos tendo um papel importante e podendo se desenvolver dentro das chaves, como foram os casos do Daniel Cargnin, da Jéssica Pereira, do Eduardo Yudy”, completou Wilson.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar Mais Por projetus
Carregar mais em Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vejam também

Área de lazer é inaugurada na Vila Ruy Barbosa em Salvador

Uma nova área de lazer foi inaugurada no bairro de Vila Ruy Barbosa, na Cidade Baixa, na n…